quinta-feira, 19 de novembro de 2009

O Fracasso da Cúpula

Se estivermos à espera de que quem está 'no poleiro' faça alguma coisa pelos pobres, bem podemos desesperar.

“No G8 de Aquila os “grandes” da terra prometeram 20 bilhões de dólares em três anos, mas até agora, nem mesmo um centésimo foi entregue. Isso é extremamente grave e injustificável se se considera que até hoje os líderes mundiais investiram 3 trilhões de dólares para salvar o sistema financeiro e somente na noite de 19 de setembro de 2008 só os Estados Unidos destinaram 700 bilhões”. (Paolo Ramonda)

Enquanto mais de mil milhões de seres humanos sofrem de fome e má nutrição no mundo, entre estes cerca de 17 mil crianças que morrem por dia, sai desta Cúpula de Roma um texto que, na prática, não passa de uma mera declaração de intenções, uma vez que os participantes se recusaram a fixar uma data limite para a concretização desse objectivo, substituindo a meta concreta pela expressão «o mais cedo possível».

Diz o povo, e com razão que:
'De boas intenções está o inferno cheio!'


(Adenda em 27.11.2009)

O ecólogo Felipe Amaral comenta o fracasso da Cúpula Mundial contra a Fome, organizada pela FAO em Roma:

«O fracasso das reuniões de cúpula internacionais é um sintoma de como governos e poderes instituídos tratam as questões emergenciais deste século. Eventos apoteóticos, caracteristicamente extravagantes, preparados em mais alto requinte para um seleto grupo de líderes mundiais.

Estes encontros ou conferências são uma vitrine para a projeção de políticos em escala mundial e um grande balcão de negociações. Nestes espaços as demandas sociais e da humanidade são o pano de fundo, uma retórica, para grandes acordos internacionais de comércio, abrindo fronteiras para produtos e serviços.»

sábado, 14 de novembro de 2009

Cúpula da Fome

A apela ao combate à fome mundial.

Mas quando toca à fome há sempre alguém que se dispõe a fugir como o diabo foge da cruz.

No entanto, se muito boa gente soubesse quanto ela dói talvez que o mundo fosse capaz de ser mais solidário para com os que padecem desse pesadelo escandaloso.

A Cúpula Mundial, em Roma, de 16 a 18 de Novembro, deve contar com a presença de cerca de 60 chefes de Estado e de Governo.

Haverá, de entre estes, pessoas de boa vontade que se atrevam a jejuar 24 horas [de salário] em favor dos que "sofrem de fome e das doenças que esta provoca"?

Assim o jejum não passaria de um simples gesto e serviria de exemplo a que mais "pessoas de boa vontade" jejuassem também.