quarta-feira, 15 de julho de 2009

Pobreza é


Pobreza Extrema

Miséria e fome...







Pobreza Absoluta

Rendimento inferior ao necessário para fazer a despesa mínima à manutenção da vida.

Primária: Rendimento abaixo do mínimo necessário à manutenção meramente física.

Secundária: Rendimento inferior ao necessário às despesas primárias com habitação, transportes...



Pobreza Relativa

Ser pobre em Portugal, hoje, é diferente de há 20 ou 30 anos; e diferente de o ser, hoje, em Angola ou em Inglaterra.



Pobreza Subjectiva

O mesmo Rendimento tem diferentes significados e usos para, por exemplo, os Velhos pobres ou os Novos pobres, de acordo com a experiência existencial do próprio que a vive.



Pobreza Convencional

Considera-se pobre aquele que tiver um Rendimento inferior a determinado montante e que reúna condições de lhe ser atribuído, pelo Estado, um rendimento mínimo (RSI).



Pobreza Total/
Pobreza Parcial:

Pobreza Total - falta de todo o tipo de recursos.

Pobreza Parcial - falta de alguns recursos.



Pobreza Temporária/
Pobreza Permanente

Temporária: situação conjuntural ou de curta duração.

Permanente: de longa duração, por exemplo, desempregados há mais de um ano.



Pobreza Envergonhada

Quem a sofre, esconde a sua situação.


"O meu maior sonho é ser pobre um dia!
Porque ser todos os dias, é terrível"

(Anónimo)

6 Comments:

Ferreira-Pinto said...

Será possível algum dia vir a erradicar este flagelo?
Sinceramente, não creio.
Admito até o contrário ... o seu aumento.

Ana Martins said...

"O meu maior sonho é ser pobre um dia!
Porque ser todos os dias, é terrível"

Quem o escreveu deve sentir na pele a pobreza todos os dias!

A pobreza envergonhada, querida amiga, deve ser das mais difíceis de enfrentar e como diz Ferreira-Pinto infelizmente tende a aumentar.


Beijinhos,
Ana Martins

zedeportugal said...

Permita-me que acrescente à sua lista ainda um outro tipo de pobres, aqueles que Jesus refere aqui:

Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino do Céu.
Felizes os que choram, porque serão consolados.
...

(Mateus 5, 3 e seguintes)

Todo o Universo é feito de equilíbrios. É por isso que Jesus afirma o que afirma: aqueles que nada têm agora, aqui, serão forçosamente compensados na vida eterna. E, para que de tal não restem dúvidas, Jesus refere em 1º lugar os mais pobres dos pobres (aqueles em Espírito) afirmando que será deles o Reino dos Céus.
Espantosa afirmação: será deles, isto é, eles são os possuidores dessa outra vida.
Parece fraca compensação para quem sofre aqui e agora, mas basta ler a parábola do rico e do pobre (Lucas 16, 19 a 31) para se perceber que não é assim.

Um abraço, cara amiga.

SILÊNCIO CULPADO said...

A pobreza cresce quando as tecnologias permitem que os recursos do planeta cheguem para todos. A ganância gera enriquecimentos ilícitos que impedem uma justa distribuição dos bens.
Não há evolução no mundo enquanto houver pobreza.


Abraço

Ana Campos said...

É tão triste a miséria humana.
Muito triste faz doer muito o meu coração :(

Manuela Araújo said...

O blogue Sustentabilidade É Acção atribuiu a este blogue o prémio COMPROMETIDOS Y MAS 2009