segunda-feira, 1 de março de 2010

Medidas de combate à pobreza e à exclusão social

Conclusões das Jornadas Nacionais da Caritas Portuguesa, subordinadas ao tema “Combate à Pobreza e à Exclusão Social pelos Caminhos da Inovação Social”, realizadas nos dias 24 e 25 de Fevereiro de 2010:

• Necessidade de dar prioridade ao emprego, à educação, à defesa do ambiente e dos recursos naturais, materiais, culturais e sociais.
• Necessidade de combater o desemprego e a precariedade do trabalho, adoptando políticas que favoreçam e não agravem as desigualdades sociais, políticas capazes de desenvolver as potencialidades dos pobres e excluídos e favorecer a sua autonomia pessoal e social.
• Necessidade do combate à pobreza e à exclusão social ser partilhado pelos governos, pelas autarquias, pelas instituições de solidariedade social e pelos cidadãos, no sentido de uma política de redistribuição social e económica mais justa.
• Necessidade de no combate à pobreza e à exclusão social as instituições mudarem de mentalidade, de forma a incutir maior justiça e inclusão nas instituições, adoptando comportamentos de solidariedade inteligente, disponível, criativa e inovadora, procurando seguir os bons exemplos e práticas.
• Necessidade de o Estado não permitir que um único cidadão português viva com um rendimento abaixo do limiar de pobreza, uma vez que está em causa a sustentabilidade social de toda uma comunidade.
• Necessidade das empresas assumirem de forma ética o princípio de responsabilidade social empresarial e das próprias IPSSs sensibilizarem as empresas para a solidariedade social.

2 Comments:

Ana Campos said...

Peço desculpa, mas jornadas há muitas, reuniões, manifestações, há de tudo como na farmácia.
Mas a realidade é outra, cada vez a discriminação social, racial, laboral, etc, é maior. A classe média está acabar, a pobreza aumenta a olhos vistos e a riqueza também.
Volto a pedir novamente desculpas, pois eu sei que ainda existe algumas pessoas com uma grande vontade de ajudar, mas não chegam para a máfia que os rodeia.

MaFa_R said...

Não tens de pedir desculpas nenhumas, Ana... é assim mesmo.
Fala-se, fala-se... mas o que se vê é que no fim não dá em nada.
Beijinhos e obrigada pelas palavritas :)