terça-feira, 26 de julho de 2011

A Fome é Oficial


Até quando, para se calar a fome, esta tem de ser declarada oficial?

Há dois anos que a seca dizima a região do Corno de África.
"A FAO diz que a fome atinge mais de 30 por cento das crianças e cerca de 750.000 pessoas já fugiram da Somália."


12 Comments:

MaFaR said...

Isto não é fatalidade -
"uma criança que morre de fome é assassinada!":
http://sustentabilidadenaoepalavraeaccao.blogspot.com/2011/07/morrer-de-fome-e-ser-assassinado.html

MaFaR said...

Convém ver este vídeo:
http://dotsub.com/view/844​6e7d0-e5b4-496a-a6d2-38767​e3b520a
(escolher as legendas em português)

Aqui um resumo do mesmo:
http://onda7.blogspot.com/​2011/06/reflexao.html

Obrigada à Manuela Araújo:
http://sustentabilidadenao​epalavraeaccao.blogspot.co​m/2011/07/quem-sao-os-verd​adeiros-piratas.html

alf said...

A fome em África ou na Ásia é fruto de uma só coisa; ausência de controlo de natalidade.

Não há desenvolvimento nem paz sem controlo de natalidade; nenhuma civilização se contruíu sem conseguir que a natalidade se mantivesse dentro dos níveis de natalidade.

As alternativas são: ou há controlo de natalidade de forma a que os recursos sejam suficientes e não há guerra,há paz e há desenvolvimento, ou não há controlo de natalidade e há fome e guerra e todo o tipo de violência.

Claro que é preciso ajudar quem tem fome, mas ao mesmo tempo é preciso que a natalidade seja controlada; caso contrário, está-se a promover o aumento de natalidade e o aumento de miséria humana.

MaFaR said...

Nem de propósito, acabei de ler agora isto em que são apontados não 1 mas 10 factores:
"Quem é o responsável pela fome crônica na Somália?": http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/07/110727_somalia_responsabilidade_pai.shtml

MaFaR said...

Porque o link atrás parece não dar, aqui fica outra vez:
Quem é o responsável pela fome crônica na Somália?

Também interessa ler que o que é urgente agora é salvar vidas:
"Temos de concentrar-nos em salvar vidas"

MaFaR said...

Mais uma: Alemanha co-responsabiliza a China pela fome no Corno de África:
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=1934398&page=-1

Sara S. said...

Ainda não li as sugestões, mas vou procurar ler. Já há algum tempo que ouço que a escassez de água será um problema daqui por 50 anos. E esta fome derivada da inexistência de uma época de chuva, que dizimou culturas e tornou os terrenos impróprios para cultivo, é o primeiro sinal. Apesar de tudo as respostas face ao problema já começam a surgir. Resta saber se serão suficiente.

MaFaR said...

Mas a sombra da morte não pára de crescer:
http://www.fundacao-ais.pt/noticias/detail/id/2113/

MaFaR said...

O presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes (CPPMI), da Santa Sé, criticou hoje as hesitações da comunidade internacional na resposta à crise alimentar e humana na Somália e outras regiões do leste africano:
http://www.agencia.ecclesia.pt/cgi-bin/noticia.pl?tpl=&id=86860

MaFaR said...

Quando a ajuda é pouca e tardia: http://www.tvi24.iol.pt/internacional/somalia-tvi24-quenia-ultimas-noticias/1271861-4073.html

alf said...

MaFaR

Há uma história que reza assim: durante uma cerimónia militar devia ter sido disparada uma salva de tiros e não foi; indignado, o general chamou o oficial responsável e perguntou-lhe porque não tinha sido disparada a salva. Este respondeu-lhe:

Por 10 razões meu general

A primeira é que não havia pólvora, ..

-Não diga mais nada - interrompeu o general - essa razão é suficiente.

Nas 10 razões apontadas no teu link, a 10ª diz que a população duplicou na última década. Tanta gente a morrer de fome e a população duplica em 10 anos?

é por isso que esta razão aparece no 10º lugar - se viesse em primeiro lugar, as outras 9 razões já não teriam qualquer importância.

Quaisquer que sejam as medidas que se tomem, a fome persistirá porque nascerão sempre pessoas até morrerem de fome; alimentar a conversa de que é preciso combater a fome e ignorar o problema da natalidade é contribuir para o agravamento da Fome, pura e simplesmente, porque quanto mais forem, mais se reproduzirão, mais esfomeados surgirão.

Enquanto não se combater a sério a natalidade excessiva, a luta contra a fome apenas vai gerar mais fome (pode ser bem intencionada, mas de boas intenções está o inferno cheio, não é verdade?).

Mas como se combate o excesso de natalidade??? Eis a grande questão.

MaFaR said...

Alf,
aqui eu não concordo plenamente contigo. Acho que não se pode ir por aí, combater a natalidade, isso não é uma guerra em que se tenha que combater... só em me lembrar da política do filho único na China dá-me a volta ao estômago...

O mundo têm alimentos em abundância que estão mal distribuídos:
http://sustentabilidadenaoepalavraeaccao.blogspot.com/2011/08/os-motivos-da-fome-no-mundo-parte-2.html

Há que estabelecer prioridades:
Dê-se de comer a quem tem fome, primeiro, e depois eduque-se o planeamento familiar.