terça-feira, 6 de maio de 2008

Agitar de consciências



Conferência de Bob Geldof em Portugal gera polémica.

«As guerras do futuro serão travadas pelo controle dos recursos alimentares, já que o Mundo tem demasiada população e a comida não chega para todos, declarou hoje em Lisboa o músico e activista irlandês Bob Geldof.

A solução duradoura, disse Geldof, "está na acção de cada uma das pessoas", já que "os políticos não vão fazer mudanças sem serem empurrados pelos eleitores".

"As verdadeiras causas são políticas e económicas. Por isso também as soluções são políticas e económicas", explicou.

"[Na Europa] pagamos impostos para produzir, pagamos impostos para armazenar e pagamos impostos vergonhosos, imorais, abjectos para destruir comida em excesso".»

In: Noticias rtp

Ver também: Jornal de Negócios e Blitz aeiou

12 Comments:

zedeportugal said...

Notícia bem apanhada e bem comentada. É mesmo o agitar das consciências. O Geldorf, que é já um veterano nestas coisas, não cala a verdade. Ao contrário, a banca portuguesa com o aval oportunista do governo português dá cobertura aos "grandes negócios" angolanos e faz grandes investimentos especulativos naquela terra cheia de miséria e sofrimento.

Agradeço a sua visita.
Também gostei do seu blogue e brevemente colocarei o seu linque lá pela minha aba.
Boa semana também para si.

am.ma said...

"As verdadeiras causas são políticas e económicas. Por isso também as soluções são políticas e económicas"
O problema é que a Economia, enquanto Ciência Social de raiz, deixou de existir na nossa sociedade 'desenvolvida' - é a Finança que move as decisões e as opções políticas! O dinheiro deixou de ser uma moeda de troca para ser um penacho, as pessoas preocupam-se demasiado com o 'ter' e muito pouco com o 'ser' - o 'ser' delas próprias e, menos ainda, o 'ser' dos outros...

Arnaldo Trindade said...

am.ma
belas e objetivas palavras.

Já que hoje as pessoas são capitalistas em seu interior e não se importam com ninguém a menos que esse ninguém possa ajudá-lo mais pra frente.

abraços

Sophiamar said...

Num mundo onde a distribuição da riqueza está tão desigualmente feita, num momento em que a carestia dos alimentos se tornou tema do quotidiano,e a sua falta a curto prazo é possível, urge pensar nas medidas que têm de ser tomadas. Acabar com a pobreza é um sonho que poderá um dia tornar-se realidade. Ou será utopia? Não quero crer.

Gostei da tua visita. Vai passando.

Beijinhos

Tiago R Cardoso said...

Ando mesmo distraido e não conhecia aqui o local, muito bem.

Geldof esteve bem, disse as coisas como elas são e deu nomes, muito bem.

quintarantino said...

A globalização, cavalgada e alimentada por um capitalismo sem rosto e desenfreado, tem vindo a cavar e cimentar o fosso das assimetrias sociais.

Campeiam os exemplos por esse mundo fora e onde antes apenas nos chegavam ecos da desgraça, hoje é a própria que nos bate à porta!

Não que muitos dos alegados activistas que temos sejam mais que produtos de marketing, mas em muitas coisas têm razão.

Geldof, no caso envolvendo o Governo de Angola, disse aquilo que há muito é sabido e que cobardemente tem sido calado pelos sucessivos governos cujos países lá têm interesses instalados.

Fá, este teu projecto é muito interessante. Parabéns.

Maf_ram said...

Amigos,
agradeço muito as vossas visitas e comentários :))

Abraços

Compadre Alentejano said...

O Geldorf é um homem que diz o que todos pensam mas que não têm coragem de dizer: Angola é governada por criminosos e que estão a delapidar as suas riquezas. Veja-se as fortunas pessoais dos dirigentes angolanos. Não me admira nada que José Eduardo dos Santos, com o auxílio da filha, venha a ser um dos homens mais ricos do mundo. E o povo angolano a morrer à fome...Ah, grande Geldorf!
Gostei da tua passagem pelo Papa Açordas, que agradeço e retribuo.
Vamos trocar links?
O Contra a Pobreza vai já para as sugestões do Papa Açordas.
Um abraço
Compadre Alentejano

Carol said...

Antes de mais nada, parabéns por mais este projecto. E que belo projecto este!

Quanto às declarações de Geldof, tal como afirmei num post do Notas, subscrevo tudo o que disse!

Esperemos que, cada um de nós, com os seus pequenos grandes gestos, seja capaz de minorar esse flagelo que é a miséria!

Maf_ram said...

Compadre Alentejano
e
Carol,
fico-vos grata por terem vindo até aqui... e obrigada por terem comentado.

Abraços

antonio said...

Vivemos numa época de excedentes de produção agrícola como nunca a humanidade viveu. Isso tem permitido fazer cair sistematicamente os preços na produção e permitindo lucros fabulosos na distribuição.

Esta (falsa) questão da falta de cereais, arroz, etc, apenas vai permitir à distribuição aumentar os preços junto ao consumidor multiplicando os seus lucros de forma escandalosa!

Maf_ram said...

Ok, António.
Gostei da tua versão.
Obrigada.