quarta-feira, 15 de outubro de 2008

No mínimo... um olhar atento à pobreza

* Em cada 100 euros que o patrão paga pela minha força de trabalho, o Estado, e muito bem,tira-me 20 euros para o IRS e 11 euros para a Segurança Social.
* O meu patrão, por cada 100 euros que paga pela minha força de trabalho, é obrigado a dar ao Estado, e muito bem,mais 23,75 euros para a Segurança Social.
* E por cada 100 euros de riqueza que eu produzo, o Estado, e muito bem, retira ao meu patrão outros 33 euros.
* Cada vez que eu, no supermercado, gasto os 100 euros que o meu patrão pagou, o Estado, e muito bem, fica com 21 euros para si.

Em resumo:
Quando ganho 100 euros, o Estado fica quase com 55;
Quando gasto 100 euros, o Estado, no mínimo, cobra 21;
Quando lucro 100 euros, o Estado enriquece 33;
Quando compro um carro, uma casa, herdo um quadro,registo os meus negócios ou peço uma certidão, o Estado, e muito bem, fica com quase metade das verbas envolvidas no caso.

Eu pago, e acho muito bem, portanto exijo:
- Um sistema de ensino que garanta cultura, civismo e futuro Emprego para os meus filhos;
- Serviços de saúde exemplares;
- Um hospital bem equipado a menos de 20 km da minha casa;
- Estradas largas, sem buracos e bem sinalizadas em todo o país;
- Auto-estradas sem portagens;
- Pontes que não caiam;
- Tribunais com capacidade para decidir processos em menos de um ano;
- Uma máquina fiscal que cobre igualitariamente os impostos.

Eu pago, e por isso quero ter, quando lá chegar, a reforma garantida;
Jardins públicos e espaços verdes bem tratados e seguros;
Polícia eficiente e equipada;
Os monumentos do meu País bem conservados e abertos ao público, uma orquestra sinfónica;
Filmes criados em Portugal.

E, no mínimo,
que não haja um único caso de fome e miséria nesta terra.

(Recebido por e-mail. Desconheço o autor)

4 Comments:

Ferreira-Pinto said...

Mau, Maria, mas agora deu-te para seres revolucionária ou quê? :)

Cátia said...

O pior é que para exigirem de nós, fazem-no sempre. Agora para nos darem os direitos.... A verdade é que existem, cada vez mais, mais casos de fome nesta terra...

Obrigada por falares!
Beijinhos

Ana Martins said...

Sim Maf_Ram,
na realidade deveria ser assim!!!
Mas é precisamente o contrário, nós pagamos, temos muitos deveres, mas os direitos estão cada vez mais esquecidos.

Beijinhos

MaF_Ram said...

Cátia,
é tão confortável estar dentro de um gabinete...
esta é uma terra de contrastes.
Obrigada por estares sempre presente onde é preciso!
Beijinhos



Ana,
não sei para onde vai o dinheiro...
a meu ver é todo para pagar a quem está no poleiro...
Beijinhos