segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados (PCAAC)


A quem se dirige?

Famílias/Pessoas – as mais carenciadas por:

- baixo rendimento do agregado familiar;

- desemprego prolongado;

- situações de prisão, morte, doença, separação e abandono;

- pensionistas do regime não contributivo;

- número de pessoas do agregado familiar;

- situações de catástrofe.

E também Instituições - por utentes mais carenciados. 


Em Setembro último, sete Estados-membros - Áustria, Dinamarca, Holanda, Suécia, Reino Unido, Alemanha e República Checa - constituíram uma minoria de bloqueio à continuação do programa.



Para mais informações pode dirigir-se aos Serviços de Atendimento da Segurança Social da sua área de residência.

4 Comments:

BRANCAMAR said...

Não sendo a caridadezinha dos grandes, que muitas vezes são os autores dos problemas que resolve os males do mundo, acredito contudo que os pode minorar por momentos, sempre fui incapaz de dizer não a uma mão estendida, ou melhor prefiro não a ver estendida e saber ajudar sem tirar a dignidade ao ser humano. Infelizmente os tempos são difíceis e os que pagam as crises são sempre os mais fracos.

Volto para conhecer melhor este espaço, porque é bom sonhar que é possível acabar com a pobreza, um sonho que tenho desde que me conheço, de tal forma que já na escola primária as meninas calçadas que me acompanhavam, me encostaram à parede por levar comigo uma vizinha de pés descalços.Com tão pouca idade já lhes soube responder que se não me quisessem acompanhar no caminho para casa, incluindo a companhia dela, eu optava pela dela.

Acabei por ficar com todas.

Tenho esperança e por isso sonho como vós, que tudo é possível.

Beijos
Branca

Evanir said...

Que o amor e a amizade
Qua nasceu entre nós, prevaleça !
Que você jamais me abandone!
Porque eu nunca te abandorei!
Não se esqueça estou te seguindo
E te amando.
Logo se Deus quiser voltarei com minhas visitas.
Beijos com infinita ternura .
Uma linda semana.
Evanir..

Mãe Terra, Estamos Aqui... said...

Nossa, a sua luta não é fácil, resolver a fome de quem tem fome, não é fácil mesmo, parabéns pelo Blog, e o seu trabalho é divino e muito útil, continue sempre e nunca se deixe levar pelas dificuldades, eles só serve como trampolim, para nos mostrar que conseguimos chegar mais longe ainda...
Muita força para vocês...

Emília Pinto e Hermínia Lopes said...

Claro que seria possível acabar com a fome, se em vez de armas se distribuisse pão, se em vez de andarem com o olho grande em cima das riquezas de África se criassem as infra estruturas necessárias para que não houvesse secas ( construir poços),se lhes dessem as ferramentas necessárias para que pudessem cultivar, estradas para escoarem os produtos etc, etc. Mas os poderosos querem é o petróleo, o ouro, os diamantes e o pior é que eles exploram esses produtos e não distribuem pelo povo essas riquezas que a eles pertencem. Enfim...há fome porque não interessa acabar com ele. Um beijinho e vamos lá, pelo menos nós fazer a nossa parte que é olhar à nossa volta e ser solidários. Não custa nada.
Emília