domingo, 31 de maio de 2009

O rico que não gostava de pobres

Havia um homem rico que tinha lido nas sagradas escrituras que a riqueza era um dom de Deus; e lera também, numa outra passagem, que para além de um dom de Deus, a riqueza era o prémio que Deus concedia àqueles que lutavam por ela.

O homem rico sabia que estava com Deus; a prova era a sua riqueza!
Mas todos os dias, ao fazer o exame de consciência, descobria que aqui e ali tinha perdido oportunidade de a aumentar ainda mais; e penitenciava-se: pedia sentidamente perdão a Deus por não ter aproveitado quanto podia os dons que o Altíssimo lhe podia dar! E todos os dias fazia como propósito para o dia seguinte, aumentar o seu tesouro!

O homem rico, naturalmente, não gostava de pobres. a razão era simples: se eram pobres, é porque não aproveitavam os dons de Deus.
E todos os dias o homem rico, cumprindo os seus propósitos de consciência(!), pagando pouco aqui, exigindo mais além, negociando habilmente direitos e deveres,
... deixava os pobres um pouco mais pobres.

O homem rico não gostava de pobres; mas usava-os para aumentar a sua riqueza e a boa consciência diante de Deus!

Claro que o homem rico nunca lia o resto das palavras sagradas do mesmo santo Livro, onde também se dizia que a riqueza era um dom de Deus para todos os homens, e que só era verdadeiramente rico quem a partilhava.

Ou talvez as lesse;
... mas com os olhos, coração e ouvidos fechados...

...não fosse entendê-las e converter-se...

(In: Vinho Novo em Odres Novos, Temas de Reflexão, Cáritas Diocesana de Coimbra)

12 Comments:

Ana Campos said...

Parece a história de tantos países por este mundo fora, incluindo o nosso.

beijokas

zedeportugal said...

Qual é a verdadeira riqueza?
Quão miseráveis são aqueles que não a conhecem...

19 Näo ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladröes minam e roubam;
20 Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladröes näo minam nem roubam.
21 Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coraçäo.
Mateus 6

Rui Figueiredo Vieira said...

Muito bonito... quem dera que a história deste planeta fosse mais facil de ser contada, infelizmente o final varia sempre de contador para contador e raramente tem um final feliz. Vale a pena lutar por um mundo melhor, baixar os braços é morrer. cumprimentos

Dr. Mento said...

Os ricos adoram pobres. Em primeiro lugar, necessitam deles para se tornar ricos. Em segundo lugar, necessitam deles para haver um termo de comparação que nos permita dizer que uns são pobres e outros ricos. Em terceiro lugar, salvo raras excepções, muitos ricos (especialmente, os novos) gostam de exibir a sua condição de ricos e têm um especial prazer em fazê-lo diante dos pobres.

Ana Martins said...

Querida amiga,
hoje vim dizer-lhe que há no Ave Sem Asas um prémio que lhe foi merecidamente atribuído.

Beijinhos,
Ana Martins

Diogo said...

Mafa_R, a prosperidade não me choca uma vez resultante do trabalho e do investimento e reinvestimento, que por sua vez gera emprego e desenvolvimento social. Mesmo esse, claro, deverá dentro do razoável ter em atenção quem nada tem. O que não entendo nem aceito é o enriquecimento por via da especulação financeira, que pouca ou nenhuma riqueza cria, a fuga aos impostos instituida (em Portugal que não paga impostos é esperto, quem paga é burro) e todos os restantes meios de enriquecimento ilícitos. Esse deve ser combatido. Parabéns uma vez mais pelo seu blogue e pelas posições que assume nas quais muito me revejo.

Ana Campos said...

Viva a abstenção. lol

SILÊNCIO CULPADO said...

Os ricos precisam dos pobres para serem ricos, para exibirem as diferenças e para praticarem a caridadezinha que, humilhando os outros, os faz sentir-se superiores.
Só é rico quem não é pobre por dentro. Quem constrói e partilha e se sente realizado sem precisar de ostentar riqueza.
Abraço

MaFa_R said...

Meus queridos amigos,
agradeço muito as vossas palavras, que são para mim sempre um grande estímulo.

Peço-vos desculpa pela pouca atenção que vos tenho dedicado...
mas o tempo e o força anímica para isso não têm abundado cá por este lado...

Muitos beijinhos

Ana Campos said...

Toca a comentar isto do cristiano ronaldo, é uma afronta para o mundo.
Não é dele, claro, mas os valores exorbitantes que vão pagar, um país que tem uma taxa de desemprego alta.
Estou de rastos, cansada com tanta podridão.

Beijinhos e desculpa este stress

A Casa da Buganvília said...

Que título tão bonito.Eu também sonho que acabar com a pobreza é possível. Alargar esse sonho é o nosso dever.

Beijinhos

LILIANE said...

Sou brasileira e aqui as coisas não são diferentes.
Infelizmente contrastes sociais existem em todo o lugar porque o ser humano é basicamente o mesmo, independente do quanto tem de dinheiro.
Pode ser egoísta e mesquinho.
Pode ser bondoso com o próximo.
São escolhas.
Ás vezes pequenas escolhas.
Como dizer não ao desperdício em nossas casas. Já seria um começo.
Parabéns pela iniciativa de chamar a atenção para algo tão importante para o ser humano: sua necessidade de alimentar-se.
Abraços